Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021
Vereador Jerbson Moraes

Jerbson Moraes participa das comemorações em homenagem à Senhora Sant’Ana

Por ASCOM - 30 de julho de 2018

No último domingo (29) o vereador Jerbson Moraes participou das comemorações em homenagem à Senhora  Sant’Ana, padroeira da comunidade católica do distrito de Rio do Engenho, zona sul de Ilhéus. O parlamentar  acompanhou a comitiva do prefeito Mário Alexandre. A comemoração teve início com uma novena no dia (20) e terminou na noite de sábado (28). Já no domingo, uma alvorada deu início aos festejos religiosos, com caminhada pelas ruas principais do local e missa solene. Para Jerbson Moraes, “Manter as tradições é muito importante para resgatar a memória e preservar a cultura local”.

 

História – A Igreja Nossa Senhora de Santana, localizada na comunidade do Rio do Engenho, é considerada a segunda capela rural mais antiga do Brasil. Antiga sesmaria de Mem de Sá, terceiro governador-geral do Brasil, o Rio do Engenho foi a sede, a partir de 1548, do primeiro engenho de açúcar e aguardente da Capitania. Nos dias de hoje, entretanto, a maior atração da localidade é a Capela de Nossa Senhora de Sant’Ana, erguida pelos jesuítas em 1563. Segundo os historiadores, a capela é considerada uma das mais antigas de que se tem notícia no Brasil. Tanto as ruínas do engenho, quanto o santuário de Senhora Sant’Ana, se encontram tombadas pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Já Santa Ana, ou Sant’Ana, cujo nome é de origem hebraica que significa graça, pertencia à família do sacerdote Aarão e seu marido, São Joaquim, pertencia à família real de Davi.  São Joaquim fora censurado pelo sacerdote Rúben por não ter filhos. Mas Sant’Ana já era idosa e estéril. Confiando no poder divino, São Joaquim retirou-se ao deserto para rezar e fazer penitência. Ali um anjo do Senhor lhe apareceu, dizendo que Deus havia ouvido suas preces. Tendo voltado ao lar, algum tempo depois Sant’Ana ficou grávida. A paciência e a resignação com que sofriam a esterilidade levaram-lhes ao prêmio de ter por filha Maria, aquela que havia de ser a mãe de Jesus.
ACOMPANHE O VEREADOR: